Mosaico Fotogaleria apresenta a exposição“Sombra”

O artista visual Lando apresenta 9 fotografias e uma pintura de autorretratos na Mosaico Fotogaleria com  curadoria de Lobo Pasolini

A projeção da própria sombra é a inspiração do artista Orlando Rosa Faya, o Lando, para uma série de fotografias que serão apresentadas em uma exposição na Mosaico Fotogaleria a partir do dia 9 de outubro.

Em ‘Sombra”, mostra que conta com nove fotografias e uma pintura, Lando dá sequência a uma série de autorretratos feitos com a sua sombra projetada sobre superfícies que ele encontra em suas derivas pelo mundo.

Para os gregos antigos, a sombra era a representação da alma; para o naturalista romano Plínio, o Velho, ela deu origem à representação. Como motivo e recurso, a sombra tem estado presente na fotografia desde a sua criação.

“Aqui, ele usa a própria sombra como forma de dialogar com formas e texturas que captura com sua lente, imprimindo nelas uma marca autoral. O resultado é plasticamente surpreendente, às vezes infuso com humor, e sempre intrigante”, conta Lobo Pasolini, curador da exposição.

“Eu estou muito orgulhoso de ter um artista como Lando na Mosaico Fotogaleria. Além de trazer ao público uma série de trabalhos com forte carga poética e imbuídos de conceitos sofisticados de produção artística essa mostra reforça nossa missão de explorar o nexus entre fotografia e artes plásticas,” diz o fotógrafo Tadeu Bianconi, sócio da Mosaico Fotogaleria.

Um dos artistas visuais mais reconhecidos do Estado, indicado ao Prêmio Pipa em 2017, Lando já expôs seu trabalho e importantes galerias no Brasil, em Portugal, Alemanha, França, Inglaterra, Estados Unidos, Equador, entre outros países.

Bate papo com o artista:

No dia 14/10 o curador Lobo Pasolini recebe o artista Lando para um bate-papo na Mosaico Fotogaleria a partir das 19h. O evento é gratuito e as vagas são limitadas. Reservas de vaga devem ser realizadas pelo email mosaicofotogaleria@mosaicoimagem.com.br ou pelo whatsapp 027 99943 0831.

SERVIÇO:

Exposição: “Sombra” – Fotografias do artista plástico Lando

Abertura: 09/10 das 19h até 22h

Período da exposição:

De 09/10 a 08/11.

Entrada gratuita.

Local: Mosaico Fotogaleria

Rua Aristóbulo Barbosa Leão, 500, loja 18, Mata da Praia, Vitória

Contato: Gabriel Lordello – Mosaico Fotogaleria

027 99943 0831 – mosaicofotogaleria@mosaicoimagem.com.br

Lobo Pasolini – 027 99705-0515 – apasolini@gmail.com

Fotografias de Lando

Para o homem primitivo, a sombra era seu duplo misterioso, espiritual. Para os gregos da antiguidade, era uma das metáforas da psykhé, da alma; o Reino de Hades, para onde iam os mortos, era a terra das sombras.
A sombra continua nos acompanhando e fornecendo inspiração para a fotografia, cinema, teatro e figuras de linguagem que usamos corriqueiramente. O artista plástico Orlando da Rosa Farya, o Lando, capixaba de renome nacional e internacional, conta que começou a desenhar usando a sombra como base de contornos. A sombra foi, assim, sua primeira inspiração.
O jovem Lando repetiu um gesto que o conecta à história da origem da representação. Plínio, o Velho, em sua história natural, conta que a pintura nasceu quando uma jovem apaixonada delineou a sombra do perfil de um homem que partiria para a guerra a partir de uma projeção em parede pela luz de uma lâmpada.
Nos últimos anos, em suas flanagens por Portugal, onde faz doutorado, e outros países da Europa, Lando tem usado a fotografia digital como ferramenta de captação criativa. A exposição SOMBRA reúne algumas dessas fotos sobre a qual ele projeta seu duplo misterioso em superfícies que ele colhe com a lente de telefone celular e que exploram o nexus artes plásticas/fotografia, onde Lando opera.
Existe algo de lúdico e experimental nessa série, que nos presenteia com acenos do invisível e nos alerta para a infinita possibilidade do olhar e da percepção. A sombra não é apenas a ausência da luz. Ela contem tanto o reflexo da imagem quanto a sua natureza essencial. Nessa série, ela é a impressão autoral do artista, que se insere, e ao mesmo tempo se esconde, em suas telas.
Quando Lando projeta sua sombra na imagem digital, ele faz uma ponte entre a origem da representação e o presente tecnológico. Como viajante pelo tempo, a sombra, maleável como é, chega sem pedir licença, seguindo sua jornada cósmica pelo mundo e pela imaginação do ser humano, em dueto com o seu ímpeto de criação e expressão.
(Lobo Pasolini, curador, set/2019)